domingo, 27 de junho de 2010

Se tudo tem um fim o meu será inesquecível (...)

Eu estava lá no mesmo lugar onde sempre costumava estar, estava frio e eu tinha a certa impressão que todos me olhavam!


-E lá estava eu, minha mochila, meu caderno com meus versos imperfeitos, versos nos quais eu escrevia só pra botar pra fora o que eu guardava aqui dentro! versos nos quais raramente eu não falava coisa com coisa, Tentava apenas me expressar com palavras, pois somente as palavras me entendiam! Transmitia sentimentos na folha de um pequeno e amassado caderno! Eu nunca fui o cara cheio de amigos e nunca tive a tal perfeita amizade, tudo sempre foi rápido e passageiro, meu único amigo atualmente eram minhas palavras, meus versos imperfeitos, meu caderno e minha falsa felicidade! E quando alguém passava e me perguntava: - tudo bem? Eu simplesmente dava aquele sorriso só pra fingi que estava tudo bem, Nunca gostei de incomodar os outros com meus problemas, sempre me fechei e me guardei no meu pequeno sofrimento! Eu sempre tentei transmitir pra mim mesmo o que eu sentia o que eu guardava em meu peito, sempre quis levar minhas dores, nunca quis descarregar em um pobre coitado! e quando eu morrer? Ninguém sentira minha falta mais meus versos inperfeitos iram comigo, eu sei a solidão é o pior castigo! Meu caderno ficara velhinho mais amassado que o normal as folhas começaram sumir assim como meu corpo, e quando ele chegar a ultima pagina? (...).
-E eu aqui comecei a escrever nesse caderno como se fosse a ultima vez, era apenas a ultima pagina! Peguei o lápis mais claro, meus sentimentos mais profundos, minhas dores mais atuais! E no final, na ultima letra, pego minha borracha e apagarei letra por letra como se estivesse apagando minhas dores, e no final rasgarei a folha guardarei meu caderno no lugar mais alto da casa e deixarei no esquecimento, Pois eu vou mudar e toda vez que me sentir aqui sozinho vou alembrar que solidão existe só pra quem quer!
Se tudo tem um fim o meu será inesquecível (...).

12 comentários:

  1. Também tenho dores atuais, mas infelizmemente, não consigo apagá-las. :(

    Bonita postagem!
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Que o seu tempo de silêncio e solidâo, nos traga posts tão intensos e confessionais como o de hj, de seu caderno, seu amigo...
    Uma boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Gosto tanto de tuas palavras, da maneira como nos passa seus sentimentos...suas fotos...tudo é lindo aqui....impossível um FIM...

    beijos no seu coração,

    Bia

    ResponderExcluir
  4. Oii! Não sei se você sabe mas eu tô fazendo uma viagem muuito especial pra mim de 45 dias pela Escócia, Romênia e Inglaterra. Então, se você quiser acompanhar tudo, fotos e talz, vou estar escrevendo sempre no meu blog...
    Beijinhos,

    http://rabiscoemnuvens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Meu deus, esse texto foi escrito a meu pedido? Então somos dois que nos entendemos melhor com papel que com a vida real. Gostei do texto e seu estilo. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Não dá pra acreditar, que um cara possa escrever assim ... virei sua fã!! coisa mais linda realmente me fez refletir, amei!
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  7. Acho que escrevemos justamente pra fugirmos da solidão, ainda que estejamos rodeados de gentes de diferentes tipos, incluindo amigos.

    Abraços, estou te seguindo.

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo, Hugo. Estava com saudades de te ler :| Mudei umas coisinhas por lá, hihi.
    Mas olhe, deixa eu te falar:
    às vezes fechar-se muito no seu mundo, pode ser ruim. Tente se abrir mais para outros mundos, verás coisas novas e bonitas, outras nem tanto, mas essas não valem ser guardadas, não é mesmo? :D
    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir
  9. Incrivel pensar no quão lindo são seus textos aki *-*

    ResponderExcluir
  10. Passei pra agredecer seu gentil comentário lá no Vórtice.
    :)
    Boa semana!

    ResponderExcluir