domingo, 29 de agosto de 2010

Saudades (...)


Seu ultimo abraço, seu ultimo beijo, seu ultimo olhar mesmo de assustado, você, uma noite, uma rua estranha, muita gente! um beijo ou o primeiro, trocas de olhares, palavras de carinhos, um medo, e agora? Saudades (...)
Os últimos minutos, olhar para traz, ti ver partindo, quilômetros, coração partindo seguindo um caminho, tão longe tão perto, um ponto de ônibus, uma estrada, um lugar! você, eu! um certo tempo (...)


sábado, 21 de agosto de 2010

Você!


E toda vez que eu sentia mais eu não queria sentir, e quando eu procurava algo que eu nunca quis encontrar, e quando eu olhava no relógio eu não conseguia entender, talvez eu esperava o tempo passar ou esperava a coragem dizer, coisas que nem eu mesmo sabia, coisas que eu sempre quis entender (...) E quando eu fechava os olhos eu conseguia fujir para bem longe, de que eu realmente sentia e do que eu era ou do que eu não tentava ser!

-Vestir uma mascara, criar um autor, atuar na vida, agradar o próximo, mais esquecer de você!

-Como se fosse fácil, como se tudo fosse escrito e no final fosse só apagar, deletar uma vida, ou reescrever a sua própria, mais do seu jeito do seu modo, sem medo de ofender e desagradar alguém! Pois o que realmente importa é você, é só recomeçar mais do seu modo, ser você tirar as mascaras, não apagar o passado e sim recomeçar pensando no futuro!

-Não são as pessoas que fazem você, não é os amigos que mudam a sua opinião, não é um amor que muda sua historia! é você que cria seu destino!

Hugo R. Dorta

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Depois do fim (...)


O mesmo filme, a mesma historia mais com outros autores (...)
E eu podia sentir os últimos batimentos do meu coração, eu ouvia tudo silenciosamente, eu não sentia dor nem medo mais eu não conseguia transcrever o que eu sentia, era como se apaixonar a primeira vez ou ao mesmo sofrer sem motivos, eu me lembro que fazia muito frio o vento soprava lá fora fazendo barulhos assustadores, eu não sentia meu corpo mais eu ainda conseguia me mexer, em minha cabeça imagens, fotos, sorrisos! Como se em alguns minutos minha vida toda passa-se por minha cabeça, como se ali fosse meus últimos minutos! Eu me lembro dos primeiros passos e da primeira vez que aprendi a andar sozinho, me lembro daquela bicicleta verde com rodinhas, daquele primeiro tombo, do primeiro dia na escolinha com aquela mochila azul e aquela linda lancheira que eu tanto amava, lembro do primeiro emprego, do primeiro beijo, do primeiro amor, daquele sorriso, aquele que eu jamais esqueceria, do seu olhar, da sua boca! (...)
- Como se alguns segundos minha historia virasse um filme e eu estava ali assistindo, vendo meu erros, minhas vitorias, minhas indecisões, minhas escolhas! talvez era o ponto final, ou o começo para uma nova vida! (...)
-Outras vidas, outras pessoas, mesmo sentimentos! Outra historia! Outro autor, outra personalidade, outro eu dentro de um novo você! outro amor, ou talvez o mesmo e eterno coração (...)
Hugo R. Dorta




sábado, 7 de agosto de 2010

O Tempo passou (...) Talvez tudo mudou, talvez as coisas mudaram (...)

-Minhas palavras, suspiros, solidão, se escondia a traz de um rosto que demonstrava uma felicidade do tipo falsa, daquelas que só queria agradar o próximo! Mais eu sempre achei que meus problemas sempre fossem ‘’só meus problemas’’ Eu nunca quis incomodar ninguém com o que eu sentia ou pensava a respeito sobre certas situações! Eu sempre tive a minha opinião mais nunca fiz questão de opinar, na minha vida fiz vários amigos nos quais a maioria acabou tornando simples inimigos, talvez pelo meu modo estranho de viver! Em meu caminho eu aprendi a fazer varias escolhas nos quais algumas mudaram minha historia totalmente, como se eu pegasse um livro rasgasse todas as paginas e tentasse concertar! Às vezes eu lembro de minha infância das partes felizes e da parte que eu comecei a ter certas duvidas! Eu sempre fui diferente, mais eu sempre me achei igual, mais sempre me importei em saber o que os outros pensam a respeito, eu nunca me importei com o que eu penso com o que deve ser melhor para mim! Eu sempre fui sendo o que diziam que era certo, mais eu nunca fui o que eu queria ser, mais com o tempo eu me completei e acho que consegui mudar em certos aspectos nessa jornada de minha vida, fui aprendendo com meus erros! Hoje me sinto como se estivesse em uma balança balançando com uma corda preste a se soltar, sinto como se a qualquer momento eu poça esborrachar ao chão, mais sinto que através daquele tombo eu vou me levantar, que em cada passo eu vou me fortalecer, eu vou ter uma nova visão de vida, não serei para sempre o velho Hugo, Talvez algumas coisas irão mudar daqui para sempre, assim como antes eu me preocupava muito com a visão do próximo hoje eu me preocupo cada vez menos, eu acho que o importante é ser feliz, independente como, ou com quem, ou a onde! O que importa que cada um tem a sua vida e todos sabemos o que fazemos a partir do momento que aprendemos a entender e raciocinar as coisas!
Hugo R. Dorta.