domingo, 14 de novembro de 2010

Palavras qualquer (...)

-E Lá fora começa a cair as primeiras gotas de aguá, o dia está nublado, faz um pouco de frio, e eu estou aqui como sempre viajando em pensamentos, vou tão longe que as vezes nem sinto meus pés ao chão, são 15hrs50min de uma tarde de domingo, e aqui estou, eu e mais ninguém, esperando escrever algo bonito, ou apenas preencher singelas linhas, si é se pode falar assim, E com o som ligado me vêm coisas ao pensamento, coisas que querem ser passadas através de palavras qualquer, o que eu sinto agora?



-É como se algo faltasse em mim e a unica coisa que me completa fica talvez em outro plano, longe, distante, me sinto como uma criança querendo um brinquedo novo, e como um adulto querendo largar o seu emprego, Fico em duvida entre o certo e o errado, meu coração já não consegue entender essas pequenas coisas que me fazem assim, como seu eu estivesse em um caminho lindo com flores, arvores, um lindo bosque, um rio, mais em meio as arvores estivessem leões famintos, e em meio a essa paisagem não ira me restar nada! Me sinto com medo, um medo estranho, talvez de morrer sem ter ninguém ao lado, e eu queria só ser aceito! E a palavra amor que se torna cada vez mais difícil de se encontrar, e quando eu fecho os olhos eu me sinto em paz, mais eu quero paz pra mim, e todos não entendem o que sinto, só vêm eu sorrindo mais não sabem o que existe aqui dentro, um sentimento de culpa por não ter feito nada ou por ter feito a melhor escolha, mesmo dizendo que essa escolha é errada, mais enfim... eu não escolhi nada, eu fui escolhido e que mal as pessoas vêm no amor? Ser diferente não é se sentir feliz, não escolheria um caminho pelo bosque se esse caminho não me levasse a felicidade, mais felicidade talvez ela ainda poça existir, talvez longe tão longe, lá no fim, lá dentro no fundo de mim (...)


Hugo.R.Dorta.


''Eu não tenho nada para dar
Eu achei o fim perfeito
Você foi feita para machucar
Desapareça em meio à poeira
Leve-me aos braços do céu
Ilumine o caminho e me deixe ir
Leve o tempo, leve minha respiração
Eu vou terminar onde eu comecei''

Um comentário:

  1. Que belo, Hugo, as palvras qdo escritas com sentimentos, não são quaisquer... E a felicidade pode está num momento como vc descreveu: de frio e gotas de chuvas, num momento de silêncio e solidão...
    Abçs e um bom feriado!
    PS: Vc tem orkut? Se tiver, me procure: franck santos, ok?

    ResponderExcluir