sábado, 13 de novembro de 2010

Platônico.

Antes ser aquela criança que chora, do que ser aquele adulto apaixonado(...)
-E ele como sempre estava lá, longe, mais tão longe que mal eu consegui ver, mais eu sentia, e eu sabia que ele estava ali, era algo fora do normal, algo que até chegava doer, me fazia chorar como uma criança que perdeu seu melhor brinquedo, ou talvez como um adulto que não soube se apaixonar. E naquela certa distância que nos separava eu conseguia enxergar coisas que jamais conseguiria ver se não estivesse cego, e minhas palavras já se confundiam ao vento, antes se eu fosse uma criança solitária do que esse adulto abandonado. E se eu pudesse escolher eu não me apaixonaria por você, talvez eu escolheria o melhor caminho, o caminho que me fizesse enxergar claramente as coisas como são, e aonde estou e para onde eu irei, e em meio a distância de um amor platônico algo aprendemos, aprendemos a sofrer.

Hugo.R.Dorta

Um comentário:

  1. E acredite, pode doer, mas aprender a sofrer, nos fortalece...

    beijos em você, menino doce e lindo!

    Bia

    ResponderExcluir