sábado, 26 de março de 2011

Cadê você?

A onde está você que só me deixou o primeiro nome e nem seu telefone eu consegui, e quando de novo vou poder olhar para aqueles olhos castanhos e sedutores, quem é que vai me olhar daquele jeito me tirando todo o fôlego e fazendo minhas pernas tremerem, onde de novo posso te encontrar, será que você ainda existe e se lembra de mim? Talvez não, mas não importa onde você esteja, eu sei que eu vou ti encontrar, nem que seja em um fim de tarde qualquer ou em uma noite chuvosa, talvez você me ignore como tantos outros, ou me olhe nos olhos mas uma vez daquele jeito que diz tudo, você não fala mas me deseja seu sei.
Mas a onde está você?


Hugo. R. Dorta

domingo, 20 de março de 2011

Você só me ensinou.

-Você me faz pensar, me traz lembranças, boas e ruins, você é aquele que abriu uma porta quando eu precisava e fechou quando eu já sabia andar sozinho, você me indicou vários caminhos, certos e errados nos quais cada escolha eu saberia da minha conseqüência, e por mais fraco que eu era eu sabia que ainda podia me tornar forte, pois eu tinha você e era você que eu precisava, e quando você se foi eu percebi que não era você que me ensinava a viver, era a vida que me ensinava com suas lições, você foi apenas a escolha certa no tempo certo, foi a conseqüência e é o passado! Motivos suficientes para ti odiar, mas quem odeia a pessoa que te ensinou a andar sozinho e aprender o verdadeiro significado da vida?
Se é com os erros que aprendemos, digo que não foi errando que cheguei a onde estou, foi acertando nos erros que cometi. Sorrindo e chorando poço viver, pois a vida não depende de nós, nós dependemos dela para sermos quem somos e fazermos o que fazemos, só é feliz aquele que sabe diferenciar as coisas e aprende a sonhar como se o amanhã não existisse.

Hugo.R. Dorta.

terça-feira, 8 de março de 2011

Vou estar te esperando!

Só não esqueça de mim, vou estar te esperando.
E toda vez que por aquela porta eu olhar é você que vou ver entrando e sorrindo pra mim, dizendo que sentiu minha falta talvez! Ficarei sentando na varanda olhando pela rua na esperança de te ver voltando, escreverei mil cartas nas quais jogarei ao mar com a esperança que você apenas leia e sinta talvez algo, e nos dias de chuva verei as gotas d'agua pingarem sobre a janela e em cada gota de agua verei seu reflexo e lembrarei daquele dia que você me jogou na chuva, lembra como foi divertido? Você dizia que nunca ia me deixar! E sobre aquelas fotos na parede do meu quarto eu guardo a melhor parte de nós, de você, seu telefone ainda continua em minha agenda, deve estar com mil mensagens na caixa postal, por que você não atende? Seu corpo se foi, mas sua alma ainda está aqui, eu consigo sentir e não vou desistir de você, por que você não vêm apenas pra dizer uma ultima vez:
-Eu te amo.

Hugo.R.Dorta

Eu Não Quero Voltar Sozinho.

sábado, 5 de março de 2011

Capítulos de uma vida.

Minha alma gritou por socorro naquela noite fria, e eu já não conseguia entender até onde fui capaz de chegar, meu rosto era todo coberto por cicatrizes, e as coisas já não fazia mais sentido algum, o espelho era apenas a única coisa que eu não queria mais ver, o relógio que estava pendurado sobre aquela parede branca marcava 2hrs e 33 minutos da madrugada, era como se fosse os minutos finais, lá fora chovia e ventava muito e com o barulho do vento minha alma chorava e gritava por “SOCORRO”.
E os segundos foram decisivos e a cada decisão eu matava um pouco de mim.

O COMEÇO.

Era uma pequena bicicleta verde e com detalhes azuis na rodinha, era como se fosse um grande avião, alias qual a criança que não sonha ter uma bicicleta quando pequena! Eu era persistente e era do tipo que só desistia quando conseguia, não queria andar com rodinhas tanto que fiz questão de ranca-las e pela estrada fui adiante, meu irmão e minha mãe me segurando até que me senti só e sobre o chão e todo sujo.
-Se machucou filho?
Meu irmão rindo do meu tombo, enquanto minha mãe preocupada.
-Não, quero tentar de novo...
E em cada tentativa fui acertando cada vez mais, era apenas um pequeno obstáculo, e para viver só Deus saberia por tantos que iria passar, mas eu era valente, sabe o tipo de criança que seu único medo é o bicho papão?
Mas o tempo foi capaz de se encarregar por duvidas e incertezas, não podia ser uma criança para sempre, e meu único obstáculo não seria para sempre uma bicicleta, assim como meu sonho não seria apenas a aprender a andar, e sim aprender a andar sozinho.
15 Anos, e eu que não sabia quem eu era, e minha única preocupação era não decepcionar meus pais, eu era do tipo que tinha medo de ser o tal filho que eles não queriam, isso me machucava às vezes, eu realmente nunca era eu, sempre era uma copia do adolescente perfeito, lembro que tinha muitos amigos e foi uma fase em que eu aprendi muito, já andava sozinho, mas não totalmente, tinha 2 companheiras que eram totalmente inseparáveis, elas latiam e me lambiam todo dia ao amanhecer, talvez as únicas que me abraçaram quando eu mas precisei.
Sabe qual a coisa que eu mas sinto falta da minha infância? O amor, mas o amor puro, aquele de Mãe e Pai, esse amor não faz sofrer, não machuca e não tira a melhor parte de você, não exige um anel e sexo.
Na parede um relógio, em minhas mãos fotos e lembranças, me sinto fraco, o tempo anda passando tão rapidamente, tenho 20, meus pés andam cansados, meus olhos andam derramando lágrimas sobre o travesseiro, não sei dizer quem eu sou, tenho duvidas, tenho medo, não quero ser, aonde fui parar, eu era forte. O que houve comigo? Vou dormir.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Meus minutos.

"E quanto mais o tempo passa menos eu entendo as pessoas"

20:38 minutos, mais uma noite qualquer, faz um pouco de frio e chove lá fora, um silêncio no meu quarto, apenas uma musica de fundo e bem baixa, estou sozinho, logo quero dormir, dormindo eu não sinto dor, a dor da decepção e do medo, e por mais que eu seja forte por fora sou tão frágil e tão inseguro por dentro. Olho pela janela, vejo a rua vazia e sem ninguém, todos se escondem da chuva, enquanto eu se escondo de mim mesmo, e são tantas as vezes que me pergunto quem eu sou? as estrelas não respondem o céu me abandona, e tudo parece tão escuro e sem cor as vezes, e por mais que eu seja estranho, diferente e sozinho menos eu entendo as pessoas, talvez o problema não seja eu, e sim algo por trás de mim, como seu eu não fosse eu o suficiente para lutar pelo que eu gosto, como se meu maior medo ainda fosse andar de bicicleta e meu único sonho fosse ganhar uma bicicleta, não faço questão que me entendam mas as pessoas não conseguem ouvir sem antes julgar, fácil é dizer, difícil é sentir.
Já são 21:01 minuto, a chuva já cai suas ultimas gotas fazendo um barulho pelo telhado, me sinto fraco, não por fora e sim por dentro, mais quem nunca se sentiu assim, e quem nunca teve duvidas.
-Me sinto tão só.



Hugo.R.Dorta.