sábado, 4 de junho de 2011

O amor

E o sangue se escorria por aqueles pulsos todos cortados, as lágrimas tinham cheiro de decepção e pingavam sobre aquele rosto delicado e de traços perfeitos e tão naturais, sua imagem já não era a mesma deis da ultima vez que a vi, estava tão triste, era como se a vida tivesse perdido o seu único sentido, acho que era assim que ele se sentia, seus olhos e pulsos sangrando falavam por si, e sobre o chão ele estava, jogado a dias, sem comer, sofrendo e se suicidando lentamente, eram drogas, sangue, decepção e medo, ali ele estava, largado e destruído. Acho que talvez tudo isso tenha um nome, talvez amor, é, o amor já matou, já fez chorar, ele dói, e leva a lucidez embora, mas o amor não é tudo isso, é alegria, esperança, abraços quentes em noites frias, sorrisos, só que  ele perde o seu valor, ele é confundido com a dor.


     (Hugo Roberto Dorta)
http://twitter.com/Hugodortaa

Nenhum comentário:

Postar um comentário