domingo, 19 de junho de 2011

Querido Anjo.

Estava tão escuro mas eu conseguia ver a neblina cair sobre as folhas das arvores deixando-a todas cobertas com um tecido branco e tão suave, e o horizonte já sumia em meio a tanta neblina, sobre o céu eram poucas estrelas em que eu conseguia ver brilhar, a lua estava linda, meia que coberta por nuvens mas brilhava como se fosse ouro, fazia tanto frio e ventava um pouco, em meu peito um sentimento estranho, como se algo estivesse ali me olhando e acompanhando todos os meus passos, mas eu sabia, eu até sentia, não era alguém querendo meu mal, era alguém querendo me proteger, eu sei, e ao horizonte devia falar e agradecer por você estar ali e não me fazer sentir mais sozinho que  já sou.
-Querido Anjo, deve ter me comportado mal nos últimos tempos, devo ter chorado mais que rido e acho que você não me quer ver assim não é? Mas aprontei bobeiras e me senti mal por isso, eu sou culpado por ser quem sou e fazer o que faço, não é culpa sua, eu sei, você sempre está ali me alertando quando eu preciso, em noites frias, em dias quentes, nas tempestades, nos erros, na verdade, na vitória e até no amor , você sempre está ali, eu nunca me senti sozinho totalmente, só preciso me desculpar, acho que você não merece minha palhaçada e os dias em que pareço um louco, desculpe pelas vezes que falei sem pensar e acusei sem ter provas, eu não sabia o que falava. Tenho medo de ti perder, promete nunca me deixar aqui sozinho?


   (Hugo Roberto Dorta)
http://twitter.com/Hugodortaa

Nenhum comentário:

Postar um comentário