sábado, 3 de setembro de 2011

Os livros.


Quando eu começava a ler eu tinha a certa sensação de que eu estava lá dentro, e era cada parágrafo tão intenso que eu me perdia dentro mim mesmo, eu sonhava em viver algum romance, talvez um dia conhecer um certo vampiro, ou acordar ao lado de um desconhecido capaz de mudar minha vida, isso era surreal, mas eu ainda tinha a força de acreditar, pois no final tudo ficava bem, sempre foi assim, pelo menos na maioria dos livros que eu lia. Lembro que eu podia sorrir quando acreditava em contos de fadas, eu era tão ingênuo que as pessoa conseguia me enganar quando diziam que me amavam, mas eu acho que eu fui forte o bastante pra aguentar e enfrentar certas lições que a vida insistiu em me dar, de algumas levei seqüelas comigo, de outras apenas aprendi a não errar novamente, mas foi errando que me tornei quem sou! Nunca encontrei um príncipe muito menos fui o cara mais feliz sexualmente, chego até a pensar que nasci pra ser sozinho, talvez deve ser por que eu escolhi isso pra mim, ou não. As pessoas dizem que temos que aprender a ouvir o coração pois é só ele que dirá o certo a nós, mas como? Se pelo menos fosse como nos livros, se pelo menos eu pudesse ir a ultima pagina, apenas espiar a minha curiosidade, seria mais simples, ou não, não sei se em todos os livros os finais são felizes, talvez o meu não seria assim, tenho que parar, pensar e acordar, preciso retomar, ou até mesmo recomeçar, tenho medo dos meus erros, das minhas escolhas, as vezes chego a ter medo até de mim mesmo, se pelo menos eu pudesse voltar e concertar aquilo tudo no que um dia eu fiz, seria tão mais simples e acho que poderia sorrir de novo, e com a cabeça erguida.

E quem vê só sorrisos, não conhece o coração, o sorriso é apenas a forma de demonstrar a felicidade, ou até mesmo de esconder a tristeza. 




Hugo Roberto Dorta. 









2 comentários:

  1. Linkin park - Iridescent

    Quando você estava em pé na esteira da devastação

    Quando você estava esperando na beira do desconhecido

    E com o cataclismo chover

    Interior gritando: "Salve-me agora"

    Você estava lá incrivelmente sozinho



    Você sente frio e perdido em desespero

    Você constrói a esperança mas o fracasso é tudo que você conhece

    Lembre-se de toda a tristeza e frustração

    E deixá-lo ir

    Deixá-lo ir



    E em uma explosão de luz que cega todos os anjos

    Como se o céu tivesse soprado o céu em estrelas

    Você sentiu a gravidade da graça temperado

    Caindo para o espaço vazio

    Ninguém lá para pegá-lo em seus braços



    Você sente frio e perdido em desespero

    Você constrói a esperança mas o fracasso é tudo que você conhece

    Lembre-se de toda a tristeza e frustração

    E deixá-lo ir

    Deixá-lo ir

    ResponderExcluir