sábado, 10 de setembro de 2011

Um anjo.


E ao amanhecer avia flores sobre minha janela com um cartão todo detalhado e com uma letra praticamente perfeita, traços tão naturais, mas um cartão de despedida, no papel avia o cheiro de seu perfume, e algo dizendo: "Eu sempre vou te amar, mas eu sou um anjo, e tenho que te deixar, você precisa caminhar sozinho.
-Na verdade, eu sempre fui sozinho, mas eu sei, você ainda está aqui.

Hugo Roberto Dorta

Nenhum comentário:

Postar um comentário